Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Noticias / AUDIÊNCIA PÚBLICA DA SAÚDE

AUDIÊNCIA PÚBLICA DA SAÚDE

por celia publicado 27/05/2022 14h05, última modificação 27/05/2022 14h22
Primeiro quadrimestre do ano foi de aumento de custos e de demanda
AUDIÊNCIA PÚBLICA DA SAÚDE

Acompanharam a prestação de contas os vereadores Ademilson, Carlinhos da Ambulância, Dr. Fernando Lima ( presidente), Galego; Igor Mateus; Jefferson Guedes; Jota Mattos; Lucas Mil Grau e Odair Paviani.

 

Durante a Audiência Pública da Saúde, realizada ontem de manhã no plenário da Câmara de Vereadores, a secretaria municipal de saúde relatou que, no primeiro quadrimestre deste ano, o município aplicou 32,15% em recursos próprios na saúde – mais que o dobro exigido em lei.  Dos quase R$ 51 milhões despendidos, cerca de R$32 milhões vieram de fontes próprias.

No relatório detalhado apresentado pela secretaria estão o aumento de 87% nos atendimentos da UPA, que respondeu por quase 222 mil procedimentos entre consultas, exames e pequenas cirurgias de janeiro a abril. No 24 horas Maria Anideje o aumento foi de quase 67%, tendo respondido por um total de 79.269 atendimentos no mesmo período.

Os vereadores aproveitaram a presença dos técnicos da secretaria de Saúde para esclarecer dúvidas. O presidente da Câmara, o vereador Dr. Fernando Lima perguntou se o aumento de demanda na UPA é a explicação para a demora no atendimento. “Tenho recebido muitas reclamações que apontam casos de mais de seis horas de espera. É a alta demanda, a falta de médicos? O que é possível fazer sobre isso?”, disse.

A diretora de planejamento da secretaria de saúde, Talita Bengozi Gozi, explicou que o crescimento da demanda na UPA vem acontecendo desde o 3º quadrimestre do ano passado. E, para ela, grande parte do problema é resultado de uma cultura que se fortaleceu durante a pandemia, quando as pessoas eram orientadas a procurar a UPA. A diretora informou que a Secretaria de Saúde já está desenvolvendo ações para melhorar o tempo de atendimento e citou a presença de uma enfermeira com o propósito de reavaliar de forma contínua os pacientes que estão aguardando.  

A secretaria de saúde descartou a possibilidade de aumentar o número de médicos na UPA. De acordo com o órgão, a estrutura física de atendimento já está operando com o número máximo de médicos. A demora no atendimento também foi abordada pelo vereador Igor Mateus que cobrou da secretaria que, além de um trabalho de conscientização para que as pessoas busquem mais as unidades básicas, também estude outras alternativas para reduzir o tempo de espera.